Sou homossexual não assumido, tenho baixa auto-estima e desinteresse pela vida. Poderei ter ajuda de um Psicólogo? Quem ou de que especialidade? Obrigado.
Tal como a colega refere poderá recorrer a um psicólogo para poder fazer sessões de psicoterapia para aprender a lidar melhor com a sua orientação sexual e melhorar a sua auto estima.

Sugiro a psicoterapia afirmativa (para gays e lésbicas). Esta abordagem tem como objectivos dotar o paciente de uma visão positiva de si próprio, conseguir a sua auto-aceitação e o aumento da auto-estima, através de um conjunto de intervenções psicológicas que auxiliem no processo de definição pessoal da orientação sexual. O profissional indicado para realizar este trabalho, é um psicoterapeuta, com formação nesta área específica.

Com certeza procurar por ajuda psicológica é uma excelente opção para que possa descobrir novas formas de encarar o seu momento de vida atual e a sua identidade perante o mundo. Sugiro que procure alguém que tenha experiência no atendimento com transtornos sexuais e de gênero e que, sobretudo, seja alguém com quem simpatize e se sinta a vontade. Lembre-se que no espaço de psicoterapia não há julgamento de valores e, por isso mesmo já é um espaço e uma pessoa que o aceitará da maneira que é e procurará ajudá-lo dentro da sua própria realidade. Fico a disposição para qualquer dúvida adicional.

Dr. Gonçalo Neves
Dr. Gonçalo Neves
Psicólogo
Lisboa
Procure fazer Psicoterapia com um/a Psicoterapeuta livre de preconceitos homofóbicos. Isto só vai ser possível saber no decorrer da relação terapêutica, uma vez que a não existência de preconceito não é algo que se afirme, mas sim algo que vai sentir ao longo do tempo na relação. Sendo assim, como primeiro passo, procure alguém com quem se sinta confortável e minimamente seguro no contacto inicial. O resto vai vendo com o tempo. É também importante saber que qualquer Psicoterapeuta está obrigado s sigilo profissional, pelo que as suas questões estão seguras.

Dra. Liliana Silva
Dra. Liliana Silva
Psicólogo, Terapeuta alternativo
Porto
Olá, obrigada pela sua questão.

Pode recorrer a ajuda de um psicólogo para o aconselhar, independentemente da abordagem psicoterapêutica que tenha e se for necessário fazer psicoterapia.

Se a falta de auto-estima e o desinteresse estiver associado a uma depressão, e se esta tiver um grau de intensidade elevado, poderá ser importante numa fase inicial haver uma estabilidade emocional com medicação.
Se estes sintomas estiverem também relacionados com a sua orientação sexual e a dificuldade em aceitar a mesma ou a expressar socialmente, sem dúvida que um psicólogo é a especialidade número 1 a escolher :)

De qualquer forma, o importante é que procure ajuda profissional especializada, podendo escolher um psicólogo, que irá verificar que tratamentos precisa e se necessário encaminhar, para psiquiatria, para trabalhar em conjunto a mesma especialidade.

Desde já coloco-me à disposição para o atender, tendo experiência neste tipo de casos.

Cumprimentos e Felicidades. Liliana.

SIm, poderia beneficiar do auxilio de um/a psicólogo Provavelmente, além das questões que coloca seriam avaliados outros sintomas , feita uma história clínica e elaborado um plano de intervenção adaptado a si ( baseado no que lhe causa desconforto).
Um/a psicólogo/a clínico/a poderá auxiliar no processo. É sempre fundamental que se sinta acolhido e escutado com o profissional que escolha.

Dra. Joana de Almeida
Dra. Joana de Almeida
Psicólogo
Aveiro
Olá! Dada a sua situação, deveria ser acompanhado por um Psicólogo Clínico. Este profissional, analisaria a sua história de vida e projectaria um plano de intervenção adaptado às suas principais necessidades. Ajudá-lo-ia ainda a assumir e aceitar a sua orientação sexual bem como a aumentar a sua auto-estima.

A melhora da autoestima está diretamente relacionada à capacidade de lidar de maneira saudável com a própria orientação sexual. Sem dúvida a psicoterapia pode ajudar nesse processo.

 Joana Machado Claro
Joana Machado Claro
Psicólogo
Seixal
Boa tarde.
Todos nós, em alguma altura da nossa vida, já sentimos que não estamos a conseguir lidar da melhor forma com algum assunto. Todos nós já sentimos que sozinhos, o caminho é muito mais difícil de percorrer. Todos nós já sentimos que o mundo nos escapa por entre os dedos e não estamos a conseguir lidar com a situação.

É nesses momentos que um psicólogo pode ajudar.

Ansiedade, depressão, angústias, desmotivação, dilemas, baixa auto-estima e tantas outras situações... para todos estes problemas e dificuldades que não estamos a conseguir ultrapassar ou resolver e que nos estão a causar sofrimento, o psicólogo é um técnico que poderá ajudar.

Especialistas em Avaliação Psicológica

Catarina I Bernardes Fonseca

Catarina I Bernardes Fonseca

Psicólogo

Santarém

Rita Maria Leitão Cunha Fernandes Vilar

Rita Maria Leitão Cunha Fernandes Vilar

Dentista, Psicólogo

Guarda

Gad - Gabinete de Apoio à Dislexia

Gad - Gabinete de Apoio à Dislexia

Psicólogo, Terapeuta da fala

Patrícia Segurado Nunes

Patrícia Segurado Nunes

Psicólogo

Portimão

Catalim A.

Catalim A.

Psicólogo

Lisboa

Joana A. Alves Rosa

Joana A. Alves Rosa

Psicólogo

Rabo de Peixe

content.questions.show.related_questions

Tem perguntas?

Os nossos peritos responderam a 31 perguntas sobre Avaliação Psicológica

Este valor é muito curto. Deveria ter __LIMIT__ caracteres ou mais.

  • A sua pergunta será publicada de forma anónima.
  • Faça uma pergunta médica clara e seja breve.
  • A pergunta será enviada para todos os especialistas que utilizam este site e não para um médico específico.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional de saúde. Se tiver algum problema ou urgência, dirija-se ao seu médico ou serviço de urgências.
  • Não são permitidas perguntas sobre casos específicos nem pedidos de segunda opinião.

Iremos utilizá-lo para o notificar sobre a resposta, que não será publicada online.
Todos os conteúdos publicados no Doctoralia.com.pt, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.