Bom dia o meu filho tem problemas em se relacionar com pessoas que não conhece, então desde que fico

11 respostas
Bom dia o meu filho tem problemas em se relacionar com pessoas que não conhece, então desde que ficou em casa está ainda pior..
Tem 18 anos e acho que tem alguns sintomas de TOC, pois verifica várias vezes as coisas antes de sair de casa e prefere sempre não conviver com pessoas para alem de um grupo muito restrito
Deve ser visto por um especialista?
Obrigada
Boa tarde,

Sim. Seria muito importante ser visto, numa primeira fase por um/a psicólogo/a.

Mantenho-me disponível.

Melhores cumprimentos,
Boa noite. Deve procurar um psicólogo, esses medos e rituais têm solução. Cumprimentos José Armindo
Boa noite,
Pelo que descreve pode sim haver alguns indícios de que o seu filho possa estar desconfortável psicologicamente e tenha necessidades de comportamentos repetitivos.
Quanto mais cedo intervir e ele procurar uma ajuda especializada melhor conseguirá conviver com os hábitos de repetição que tem e adoptar estratégias cognitivas para os minizimar.
Bom dia,
Para um diagnóstico de transtorno obsessivo compulsivo (TOC), o seu filho deverá ser observado por um especialista. O meu conselho é que seja observado por um psicólogo clínico ou psiquiatra que poderá fazer o diagnóstico.
Bom dia. Pelo que descreve, existem alguns sinais de alerta e preocupações pertinentes. Na minha opinião, deve conversar com o seu filho e encorajá-lo a procurar um psicólogo.
sim o seu filho pelas indicações que dá deverá fazer psicoterapia de modo a tratar esse "não relacionamento com as pessoas" e ser avaliado para se saber se sofre de TOC ou não .
Ao seu dispor
Cumprimentos
Rita Bicha Castelo
Boa tarde, o seu filho deve ser visto por dois especialistas um Psiquiatra e depois um Psicólogo para iniciar um Processo Psicoterapêutico.
Deve, efectivamente, ser visto ou por Psicólogo/a clínico ou Pedopsiquiatria. O desconhecido parece despertar grandes inseguranças e angústia. A necessidade de fazer verificações indica uma tentativa de controle dessa angústia. Só uma investigação clínica permitirá um melhor conhecimento do que lhe traz sofrimento.
Bom dia,
Seria muito benéfico o seu filho ser visto por um profissional, sem dúvida.
Não posso acrescentar mais pois não conheço o caso, mas a ajuda de um profissional pode aliviar os sintomas que refere e sossegar as vossas preocupações.
Desejo tudo de bom
Claro que o seu filho deverá ser visto por um especialista que avalie a situação e possa estabelecer uma intervenção no sentido de o ajudar a ultrapassar todo o sofrimento que sente. Penso que uma Hipnose Clínica poderá ser muito útil nessa intervenção.
Bom dia, concordo que seja observado. As melhoras.

Especialistas

Daniel Accoto Martins

Daniel Accoto Martins

Psicólogo

Fátima

Alexandre Almeida

Alexandre Almeida

Psicólogo

Ermesinde

Lara Almeida

Lara Almeida

Psicólogo

Setúbal

Marcela Almeida Alves

Marcela Almeida Alves

Psicólogo

Cascais

Ana Mafalda Almeida Bruno

Ana Mafalda Almeida Bruno

Psicólogo

Lisboa

Adoindo Pimentel

Adoindo Pimentel

Psiquiatra

Perguntas relacionadas

Tem perguntas?

Os nossos peritos responderam a 22 perguntas sobre Transtorno Obsessivo-Compulsivo
  • A sua pergunta será publicada de forma anónima.
  • Faça uma pergunta médica clara e seja breve.
  • A pergunta será enviada para todos os especialistas que utilizam este site e não para um médico específico.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional de saúde. Se tiver algum problema ou urgência, dirija-se ao seu médico ou serviço de urgências.
  • Não são permitidas perguntas sobre casos específicos nem pedidos de segunda opinião.
  • Por uma questão de saúde, quantidades e doses de medicamentos não serão publicadas.

Este valor é muito reduzido. Deveria ter __LIMIT__ caracteres ou mais.


Escolha a especialidade dos médicos a quem quer fazer perguntas
Iremos utilizá-lo para o notificar sobre a resposta, que não será publicada online.
Todos os conteúdos publicados no Doctoralia.com.pt, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.