Boa noite Fui diagnosticado com Perturbação Obsessiva Compulsiva [com espectro de fobia de impulso]

2 respostas
Boa noite

Fui diagnosticado com Perturbação Obsessiva Compulsiva [com espectro de fobia de impulso]. Embora este quadro tenha sido esclarecido, muito recentemente, já utilizo, desde 2013, Escitalopram e Alprazolan [0.25 mg-de manhã e 0.5mg-de noite], para o tratamento de ansiedade e episódios depressivos. Quanto ao uso do Escitalopram, a dosagem tem sido frequentemente trocada: experimentei 40mg, que me deixavam entorpecido, para depois 20 mg e, no ano anterior 10 mg. Dado a uma recente crise, procurei novas opinões que, em uníssono, aumentaram a dose para os 20 mg. Este aumento está a ser efetuado há sete dias, e apresento efeitos colaterais como sudorese excessiva, palpitações e humor deprimido. Gostaria de saber o seguinte:
1) É normal sentir estes efeitos, sendo eu consumidor deste medicamento há algum tempo, pelo aumento da dosagem? Se sim, quanto tempo devo de esperar para sentir melhorias?

2) A médica psiquiatra prescreveu-me Socian 50 mg, durante 20 dias. No entanto; pelo que li é um antipsicótico, do qual me assustei. Gostaria de conhecer melhor sobre este medicamento, e saber se há interferência com o alprazolam, que tomo ao pequeno-almoço?



Peço, desde já, desculpas por este longo desabafo. Obrigado.
Boa tarde.
Iniciou o tratamento farmacológico em 2013, há seis anos quando é que termina o tratamento? Qual é a eficácia do tratamento? É o mais indicado? Se parar com a toma dos fármacos os sintomas regressam? Só para exemplificar, uma perturbação de ansiedade generalizada ou uma fobia de um quadro moderado/severo, em média carece entre 14 a 22 sessões de psicoterapia com recurso ao modelo de intervenção terapêutica cognitivo comportamental. Modelo de intervenção validado cientificamente e recomendado pelas guidelines nacionais e internacionais. Este tipo de intervenção psicoterapeutica pode ser concomitante com intervenção psiquiátrica (farmacológica) se assim se justificar, sendo que esta intervém apenas sobre a sintomatologia fisiológica. Por exemplo se alguém tiver uma fobia específica a elevadores sempre que se aproximar de um ou antecipar ter que usar um elevador emerge sintomatologia fisiológica ansiógénica se tomar um ansiólitico ou se tiver a tomar de forma regular a sintomatologia torna-se residual, e a fobia? O medo que tem e os pensamentos associados, que s\ao o que provocam essa sintomatologia desaparecem? Se estamos a tomar fármacos para determinada patologia ao fim de seis anos é porque é crónica ou está a ser contida portanto sem de facto resolver o problema.
As melhoras
Olá bom dia.
A Perturbação Obsessiva Compulsiva é um quadro muito comum nos dias de hoje. Lendo estudos científicos recentes sobre a matéria, há uma relação entre este fenómeno e o stress diário a que as pessoas estão expostas, seja pela vertente profissional ou pela pessoal. É inquestionável que o equilíbrio químico farmacológico é essencial, não vale a pena negar as evidencias. Ajuda a manter a ansiedade minimamente controlada com efeitos imediatos sobre o impulso. Independentemente do tempo a que se expõe ao tratamento psiquiátrico creio que é altura de dominar a sua condição e para isso há que perceber quais os botões que despertam o problema.
Marque uma consulta de psicologia cognitiva-comportamental para aprender a viver com o seu problema mas de uma forma diferente, uma forma em que consegue criar mecanismos de controle do stress, das emoções e da ansiedade. Veremos se com o tempo poderá reduzir a medicação a valores residuais.
Seja presencial ou à distancia estou ao seu dispor,
Atentamente
MJP

Especialistas

Daniel Accoto Martins

Daniel Accoto Martins

Psicólogo

Fátima

Alexandre Almeida

Alexandre Almeida

Psicólogo

Ermesinde

Lara Almeida

Lara Almeida

Psicólogo

Setúbal

Marcela Almeida Alves

Marcela Almeida Alves

Psicólogo

Cascais

Ana Mafalda Almeida Bruno

Ana Mafalda Almeida Bruno

Psicólogo

Lisboa

Adoindo Pimentel

Adoindo Pimentel

Psiquiatra

Perguntas relacionadas

Tem perguntas?

Os nossos peritos responderam a 22 perguntas sobre Transtorno Obsessivo-Compulsivo
  • A sua pergunta será publicada de forma anónima.
  • Faça uma pergunta médica clara e seja breve.
  • A pergunta será enviada para todos os especialistas que utilizam este site e não para um médico específico.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional de saúde. Se tiver algum problema ou urgência, dirija-se ao seu médico ou serviço de urgências.
  • Não são permitidas perguntas sobre casos específicos nem pedidos de segunda opinião.
  • Por uma questão de saúde, quantidades e doses de medicamentos não serão publicadas.

Este valor é muito reduzido. Deveria ter __LIMIT__ caracteres ou mais.


Escolha a especialidade dos médicos a quem quer fazer perguntas
Iremos utilizá-lo para o notificar sobre a resposta, que não será publicada online.
Todos os conteúdos publicados no Doctoralia.com.pt, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.