A minha avó tem 76 anos e sofre de fibrilação auricular desde dezembro, altura em que deu entrada no

1 respostas
A minha avó tem 76 anos e sofre de fibrilação auricular desde dezembro, altura em que deu entrada no SU, com o TSH em 0,030, o que significava que a medicação que fazia para o hipotiroidismo (Eutirox 100) estava ser administrada em excesso. Entretanto, está a ser tratada com Concor 5mg e Xarelto 20mg (e Apocard).
Mais recentemente, um exame de sangue já indicava o TSH em 2,009 (o Eutirox fora ajustado para metade -> 50 microg). No entanto, há algo que me continua a fazer confusão: depois de a minha avó ficar dois dias sem tomar o Eutirox quando veio do hospital, passados dois dias e meio, a máquina das tensões (que é também detetor de arritmia) deixou de registar arritmia durante 5 dias. Pensei que fosse algum tipo de coincidência, ainda que medíssemos as tensões de 2 em 2 horas. Contudo, aconteceu exatamente o mesmo quando a minha avó se esqueceu de tomar um dia (e acabou por não tomar no seguinte). Passados dois dias e meio exatamente, as medições sempre com arritmia deram lugar a 5 dias em que esse indicador deixou de aparecer. Não tenho como saber o comportamento das aurículas, mas a verdade é que o ritmo cardíaco da minha avó ficou, em ambas as ocasiões, absolutamente regular.
Para além da situação cardíaca, também outra situação me fez questionar seriamente sobre a questão tiroideia. Antes do incidente no hospital, a minha avó apresentava uma confusão mental de tal dimensão que pensámos em levá-la a um neurologista, receando tratar-se de algo grave (confundia algumas pessoas não próximas, situações, assuntos conversados, e até os lugares em que viveu nos quais aconteceram certos marcos da sua vida). Nesses primeiros cinco dias, parecia ter acontecido um milagre: toda a confusão desaparecera totalmente. A minha avó estava mesmo de volta. Entretanto, com o passar do tempo, a confusão tem vindo a ganhar terreno (mesmo que interrompida nos segundos cinco dias de paragem).
Tenho receio de a minha avó manter a arritmia e a confusão apenas por causa da medicação.
É possível que ela devesse tomar uma dose menor? Devo consultar um endocrinologista?
(É possível que o nível ótimo de TSH para uma pessoa em particular não seja tão amplo como o campo de valores de referência para o ser humano em geral?)

Muito obrigado!
Descreve muito bem o caso. Nos idosos o valor normal da TSH é mais elevado que o limite superior do valor de referência. Numa pessoa com arritmia e idosa é de considerar a redução ou até suspensão do Eutirox. Mas ha que avaliar melhor o caso. Consulte um Endocrinologista

Especialistas

Eduardo Barreiros

Eduardo Barreiros

Endocrinologista

Lisboa

Alberto Galvão-Teles

Alberto Galvão-Teles

Endocrinologista

Lisboa

Teresa Martins

Teresa Martins

Endocrinologista

Oliveira de Azeméis

A Baldaque Faria

A Baldaque Faria

Endocrinologista

Porto

Ana Paula Marques

Ana Paula Marques

Endocrinologista

Porto

Ana Paula Meneses Costa Marques

Ana Paula Meneses Costa Marques

Endocrinologista

Porto

Perguntas relacionadas

Tem perguntas?

Os nossos peritos responderam a 9 perguntas sobre Doenças da Tiroide
  • A sua pergunta será publicada de forma anónima.
  • Faça uma pergunta médica clara e seja breve.
  • A pergunta será enviada para todos os especialistas que utilizam este site e não para um médico específico.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional de saúde. Se tiver algum problema ou urgência, dirija-se ao seu médico ou serviço de urgências.
  • Não são permitidas perguntas sobre casos específicos nem pedidos de segunda opinião.
  • Por uma questão de saúde, quantidades e doses de medicamentos não serão publicadas.

Este valor é muito reduzido. Deveria ter __LIMIT__ caracteres ou mais.


Escolha a especialidade dos médicos a quem quer fazer perguntas
Iremos utilizá-lo para o notificar sobre a resposta, que não será publicada online.
Todos os conteúdos publicados no Doctoralia.com.pt, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.