Transtorno Obsessivo-Compulsivo
5 respostas
Tenho Perturbação Obsessiva Compulsiva, e a minha pior compulsão é tocar em coisas. Já tenho há vários anos e é uma coisa que eu sinto que não consigo mesmo controlar. Também estou sempre a contar e a olhar para as coisas repetidamente. Fui a um psicólogo há uns meses mas sinceramente não estava a resultar. Ele continuava à procura de uma "causa"/ origem para os meus pensamentos e compulsões, mas eu não acho que haja uma causa. Também me dizia para escrever os pensamentos antes de fazer os rituais, mas eu estou a fazer os rituais quase a cada segundo que passa, é difícil controlar porque já nem me apercebo às vezes. Como posso proceder? Devo tentar outro psicólogo? Ou será que um psiquiatra me poderia ajudar melhor? Obrigado desde já.
Olá. O tratamento do POC tem melhores resultados quando ocorre a associação entre o tratamento medicamentoso (com psiquiatra) e o terapia cognitivo-comportamental (com psicólogo).
Respondendo a sua pergunta, acho que valeria a pena tentar com outro psicólogo/a.
Ao dispor

Boa tarde!
A investigação revela que a combinação entre a Psicoterapia e Psiquiatra, num quadro de POC, é o mais eficaz!
Não desista, procure ajuda pois pode melhorar consideravelmente a sua qualidade de vida!
Contacte-me, caso pretenda.
Melhores cumprimentos.

Olá,
Posso imaginar que a situação em que se encontra lhe cause muita angústia e que procure uma solução rápida e eficaz para o seu problema.
Existem métodos cientificamente comprovados de tratamento da Perturbação Obsessivo Compulsiva,
no entanto, psicoterapia é um processo complexo que exige trabalho e motivação tanto da parte do Psicoterapeuta, como da parte do paciente.
Neste momento, penso que primeiramente deverá procurar a ajuda de um Psiquiatra, pois a medicação poderá ajudar bastante no controlo de sintomas e na estabilização emocional, podendo desse modo estar mais disponível e motivado para o trabalho psicoterapêutico, onde poderá aprender a lidar eficazmente com este desafio que tem na sua vida.
Estou ao seu dispor para qualquer questão.
Cumprimentos.

Existe terapia psicológica específica, com método científicamente comprovado para tratar a Poc. Os resultados têm demonstrado que é eficaz. É recomendável que em simultâneo faça também terapia farmacológica.

Bom dia! Conforme o que os colegas ressaltaram e aquilo que diz as pesquisas, temos mais sucesso aos tratamentos juntamente com medicamentos. Entretanto, é muito importante que o paciente esteja se sentindo a vontade com as intervenções sugeridas pelo profissional. Acredito que numa boa relação terapêutica o feedback é sempre bem vindo para o bem do desenvolvimento do paciente.

Especialistas

Adoindo Pimentel

Adoindo Pimentel

Psiquiatra

Adrián Gramary Cancelas

Adrián Gramary Cancelas

Psiquiatra

Fânzeres

Adriana M Horta

Adriana M Horta

Psiquiatra

Vila Nova de Gaia

Adriano S Vaz Serra

Adriano S Vaz Serra

Psiquiatra

Coimbra

Agnelo Marques Silva

Agnelo Marques Silva

Psiquiatra

Águeda

Alberto C F Gomes Santos

Alberto C F Gomes Santos

Psiquiatra

Porto

content.questions.show.related_questions

Tem perguntas?

Os nossos peritos responderam a 18 perguntas sobre Transtorno Obsessivo-Compulsivo

Este valor é muito curto. Deveria ter __LIMIT__ caracteres ou mais.

  • A sua pergunta será publicada de forma anónima.
  • Faça uma pergunta médica clara e seja breve.
  • A pergunta será enviada para todos os especialistas que utilizam este site e não para um médico específico.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional de saúde. Se tiver algum problema ou urgência, dirija-se ao seu médico ou serviço de urgências.
  • Não são permitidas perguntas sobre casos específicos nem pedidos de segunda opinião.

Escolha a especialidade médica dos médicos a quem quer fazer perguntas
Iremos utilizá-lo para o notificar sobre a resposta, que não será publicada online.
Todos os conteúdos publicados no Doctoralia.com.pt, principalmente perguntas e respostas na área da medicina, têm caráter meramente informativo e não devem ser, em nenhuma circunstância, considerados como substitutos de aconselhamento médico.