Transtorno Obsessivo-Compulsivo - Informação, especialistas, perguntas frequentes.

Tudo sobre Transtorno Obsessivo-Compulsivo

Os especialistas falam sobre a Transtorno Obsessivo-Compulsivo

O transtorno obsessivo-compulsivo (TOC), distúrbio obsessivo-compulsivo (DOC) ou Perturbação Obsessivo-Compulsiva (POC) é um transtorno de ansiedade caracterizado por pensamentos obsessivos e compulsivos, no qual o indivíduo tem comportamentos considerados estranhos pela sociedade ou por si próprio; normalmente trata-se de ideias exageradas e irracionais de saúde, higiene, organização, simetria, perfeição ou manias e "rituais" que são incontroláveis ou dificilmente controláveis.
Dr. Tiago Pires da Silva
Dr. Tiago Pires da Silva Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicólogo

|

Seixal

Carateriza-se por pensamentos intrusivos, recorrentes e indesejados - obsessões - que provocam ansiedade e levam a pessoa a realizar rituais repetitivos - compulsões, para neutralizar esses pensamentos. As obsessões causam grande tensão e ansiedade interna e as compulsões são uma tentativa ineficaz de aliviar esse estado ou evitar que algo de mal aconteça. Avaliamos e intervimos nos estímulos que causam as obsessões e compulsões. Atuamos na redução dos níveis de ansiedade, eliminação de comportamentos disfuncionais que provocam sofrimento. Auxiliamos na reestruturação de crenças e aprendizagem de estratégias adaptativas para reencontrar o bem-estar e a tranquilidade.
Dra. Jatir Schmitt
Dra. Jatir Schmitt Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicóloga, Terapeuta alternativa

|

Vila Nova de Gaia

Tem perguntas sobre Transtorno Obsessivo-Compulsivo?

Nossos especialistas responderam 5 perguntas sobre Transtorno Obsessivo-Compulsivo.

Pergunte a milhares de especialistas de forma anônima e gratuita

  • A sua pergunta se publicará de forma anônima.
  • Faça uma pergunta concreta, mantenha o foco em uma pergunta médica.
  • Seja breve e conciso.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional da saúde. Se tiver algum problema ou urgência, vá ao médico ou ao pronto-socorro.
  • Não estará permitido obter segundas opiniões ou consultas sobre um caso em concreto.

Estas são as mais populares:

Sugiro que consulte um psicólogo para que seja efetuada uma avaliação da sua situação. Somente com uma avaliação acurada será possível perceber qual a intervenção mais adequada. Espero ter respondido à sua questão.

  • 4
  • 10
  • 2
Raquel Martins e Silva

Psicóloga

Montijo

Sim, é possível! Aliás, o que é mais raro é um paciente sofrer apenas de uma perturbação. A comorbilidade de doenças psiquiátricas é muito frequente. Mas cada diagnóstico só deve ser feito por um especialista pois deve fazer o despiste e diagnóstico diferencial de todas as doenças não psiquiátricas que se manifestam como parecendo doenças mentais mas que na realidade não o são. Após esse despiste de doenças médicas e se se confirmar que se trata efectivamente de doença mental então pode-se estabelecer um plano terapêutico que pode passar por medicação, psicoterapia, exercício fisico...em separado ou em conjugação de acordo com o parecer do psiquiatra e do paciente que estabelecem um acordo de funcionamento em equipa.

  • 8
  • 16
  • 24
Prof. Doutor Jorge Mota Pereira Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicólogo, Psiquiatra

Porto

A única forma de o poder ajudar será de fazer tudo que esteja ao seu alcance para convencê lo a voltar ao acompanhamento médico e psicológico. Só dessa forma voltará a ter melhorias. O Toc sendo uma psicopatologia terá sempre algumas sequelas ao nível comportamental. No entanto é fundamental que esses comportamentos e estados emocionais se compatibilizem com a sua vida pessoal e profissional. Um dos receios comuns dos pacientes que abandonam tratamentos a meio é a vergonha em voltar a consultar os mesmo profissionais de saúde pelo medo de ser julgado por isso. Pode usar como estrategia propor lhe outros profissionais de saúde diferentes do que o estavam a seguir anteriormente para quebrar esse eventual receio. Pode também numa primeira fase começar por um acompanhamentos psicológico de preferência com uma orientação cognitivo comportamental onde são obtidos bons resultados para esta psicopatologia. Posteriormente será mais fácil convencê lo a ter acompanhamento médico.

  • 13
  • 22
  • 3
Dr. Hélio Borges Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicólogo

Porto

Marcar consulta

O tratamento para a perturbação obsessivo-compulsiva, com historial prolongado, deverá incluir terapia cognitivo-comportamental adjuvante ao tratamento psiquiátrico (psicofarmacológico)

  • 20
  • 30
  • 19
Prof. Doutor Ricardo João Teixeira Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psicólogo

Porto

Marcar consulta

Ver as 5 perguntas sobre Transtorno Obsessivo-Compulsivo

Para um melhor serviço utilizamos cookies próprios e de terceiros. Ao continuar aceite nossa política de cookies. Mais info. X