Esquizofrenia - Informação, especialistas, perguntas frequentes.

Tudo sobre Esquizofrenia

Tem perguntas sobre Esquizofrenia?

Nossos especialistas responderam 3 perguntas sobre Esquizofrenia.

Pergunte a milhares de especialistas de forma anônima e gratuita

  • A sua pergunta se publicará de forma anônima.
  • Faça uma pergunta concreta, mantenha o foco em uma pergunta médica.
  • Seja breve e conciso.
  • Este serviço não substitui uma consulta com um profissional da saúde. Se tiver algum problema ou urgência, vá ao médico ou ao pronto-socorro.
  • Não estará permitido obter segundas opiniões ou consultas sobre um caso em concreto.

Estas são as mais populares:

Enquanto não se conhecer bem a génese deste tipo de doenças, toda a gente possui um risco, mais ou menos relevante, de desenvolver uma doença deste género. No entanto há variáveis que aumentam o risco: 1) ter uma personalidade esquizomorfa; 2) ter pai ou mãe ou irmãos com a doença; 3) estar numa idade propicia (mais entre os 15 e os 25 anos, sobretudo pelos 22 aos 24 anos); 4) fazer consumos de drogas (cannabis, cocaína, anfetaminas...) incluindo álcool; 5) ter ou apresentar na família, outro tipo de perturbações do comportamento graves que se inscrevam no grupo das psicoses; etc... O diagnóstico médico é complexo e nunca excluí uma historia e uma observação clinica, só assim é razoável fazer uma previsão com o mínimo de fiabilidade.

  • Obrigado 3
  • 1 especialista está de acordo
  • 14
  • 15
  • 15
Dr. Marcelo J Faria Feio Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

Lisboa

Marcar consulta

O Serviço Nacional de Saúde tem bons especialistas para a ajudar. Poderá no entanto ter sido esse o caso consigo. A resposta é: pode você consultar um psiquiatra primeiro, sozinha se ele não quiser vir, para relatar o caso e analisar as medidas a tomar.

  • 16
  • 19
  • 5
Prof. Domingos Neto Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

Lisboa

Embora muito provavelmente esteja em causa uma perturbação com marcado impacto nas actividades de vida diária, note-se que ouvir vozes e fazer coisas estranhas não significa esquizofrenia.Isso importa por causa da evolução natural do quadro, que tenderá a ser diferente.De qualquer modo, quando um cuidador não consegue levar um paciente ao médico, poderá o próprio cuidador consultar um médico para com ele definir a melhor estratégia a implementar. Com frequência, existem soluções que podem ser implementadas com a colaboração de terceiros.

  • 14
  • 15
  • 15
Dr. Marcelo J Faria Feio Profissional Premium: Tem um perfil mais completo.

Psiquiatra

Lisboa

Marcar consulta

Ver as 3 perguntas sobre Esquizofrenia

Para um melhor serviço utilizamos cookies próprios e de terceiros. Ao continuar aceite nossa política de cookies. Mais info. X